Grazi Paim Coaching

Superação: Salto para o Sucesso

Posted by | Artigos, Coaching Esportivo | No Comments

Como lidar com os nossos erros? O que fazer quando erramos? Se você fosse uma atleta o que faria se toda a sua preparação ficasse comprometida por um erro ocorrido exatamente no momento da sua competição?

A cidade de Toronto no Canadá, entre os dias 10 e 26 de julho, é sede dos Jogos Pan-Americanos de 2015, um evento com aproximadamente 6 mil atletas de 41 Comitês Olímpicos das Américas para competir em 36 esportes.

Neste evento um acontecimento chamou a atenção do público devido a um erro na execução de uma prova de salto ornamental e a rápida demonstração de superação da atleta. Ingrid Oliveira, carioca de 19 anos, passou por um momento difícil em sua estreia no Pan, a atleta durante a execução do penúltimo salto, mergulhou com as costas na piscina comprometendo totalmente a performance deste salto e obtendo nota zero como resultado. Apesar de não conseguir conter o choro, demonstrou grande habilidade ao lidar com o desgaste emocional gerado pela sua falha inicial enfrentando estímulos externos (expectativa da torcida, treinadores, etc.) e internos (possível raiva, medo, frustração, vergonha, insegurança, etc.) ao retornar logo em seguida e executar o último salto de forma espetacular e com isso garantir a sua classificação para as finais.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Antes de iniciar as competições, a Ingrid postou nas redes sociais uma foto na qual ela aparece com o maiô de treino. Essa postagem recebeu muitos elogios, mas ao mesmo tempo, gerou muita polêmica devido a alguns comentários ofensivos e maldosos postados pelos usuários. Segundo a imprensa haveria uma relação direta entre a falha na execução do salto e descontentamento da atleta com os comentários da foto. Porém, a técnica Andreia da Silva garante que o ocorrido não provocou a falha apesar de ter pedido a ela mais foco e menos foto.

As emoções relacionadas à ansiedade de fato podem alterar o desempenho na execução de uma atividade. Gould e Weinberg afirmam que quanto maior o grau de incerteza de um indivíduo em relação a um resultado ou a sentimentos e avaliações dos outros, maior o estado de ansiedade e estresse dessa pessoa. Em uma situação de grande pressão como a que a atleta Ingrid estava vivenciando, somado a incerteza do resultado, o nível de tensão e de ansiedade dela aumentou, como ela mesmo declarou. Como consequência a atleta pode ter dado maior atenção para estímulos inadequados (foco nas preocupações) e alterado seu nível de atenção e concentração.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Para Gould e Weinberg, uma maneira de controlar a ansiedade é desenvolver a confiança. Coube à técnica Andreia da Silva cumprir com esse papel. Logo após a execução errada do salto, ela deu total apoio a Ingrid não enfatizando o erro, mas sim, incentivando a atleta para que ela voltasse e fizesse o seu melhor. Outra forma de controle da ansiedade é utilizar de técnicas para reestruturar-se cognitivamente, controlando ou eliminando preocupações, o processo de Coaching é um facilitador altamente eficaz nesse processo, ao desenvolver na pessoa mudanças de comportamento através da alteração na forma de pensar. Não é uma tarefa muito fácil, mas Ingrid se recuperou rapidamente da queda do seu desempenho. John Wooden, técnico do basquete americano com incrível marca de 88 vitórias consecutivas, fala que não podemos ficar muito preocupados com as coisas que não temos controle, pois se isso acontecer vai desfavoravelmente afetar as coisas sobre as quais temos controle. No caso da Ingrid, a falha já havia acontecido e mesmo assim ela focou no que ainda dependia dela, foi lá e deu o seu melhor no último salto.

O resultado final não foi o pódio, porém ela demonstrou que soube lidar de forma eficaz com suas emoções e sentimentos e fez a diferença, pois enfrentou os medos e a frustração de não alcançar o melhor resultado da competição, contudo alcançou a sua melhor nota em competições e obteve o sucesso. Para Wooden:

“Sucesso é a paz de espírito obtida somente através da satisfação própria em saber que você se esforçou para fazer o seu melhor, no que você é capaz”.

Você pode perder quando ganha e pode ganhar quando for vencido. Os aprendizados que a atleta leva na bagagem para as próximas competições com certeza são ganhos extraordinários e servirão de pontes para alcançar resultados ainda maiores.

Esse acontecimento nos traz diversas reflexões e uma delas é certa: os erros são fontes de aprendizados para obter o crescimento e a evolução necessários na vida. Pare e pense aonde você errou, o quê você tira de aprendizado e em que parte da história você pode agora fazer diferente. Faça a sua parte.

Entre em contato conosco. Será um prazer conversar com você!

 

Fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jogos_Pan-Americanos_de_2015

http://globoesporte.globo.com/

WEINBERG, Robert e D. Gould – Fundamentos da Psicologia do Esporte e Exercício – PA, Ed. Artmed, 2001.

Coaching Esportivo e MMA

Posted by | Artigos, Coaching Esportivo | No Comments

Você já parou para pensar em como podemos explicar o fato de um atleta de alta performance, que possui todas as condições para exercer um excelente trabalho, não alcançar o resultado esperado nas suas competições?

Visando aperfeiçoar cada vez mais o rendimento dos atletas através de uma abordagem interdisciplinar e, com foco no desenvolvimento da competência emocional, este artigo apresenta uma metodologia capaz de identificar melhorias e propor estratégias para complementar os treinamentos desportivos.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Como melhorar ainda mais os resultados dos atletas que atingem níveis elevados de desempenho durante os treinamentos, porém não conseguem alcançar esses mesmos níveis em competições? Muitos atletas desenvolvem a técnica e tática necessárias para competir, tem acesso a ótimos centros de treinamentos, contam com o apoio de treinadores renomeados, participam de grandes competições, utilizam modernos recursos para aprimorar o condicionamento físico, tem acesso a alimentação e suplementação diferenciada, contudo, o foco nas habilidades técnica, tática e física embora muito importante não são suficientes para alcançar a vitória. Uma alternativa eficaz para que isso aconteça é trabalhar as competências mentais e emocionais do atleta de maneira a elevar seu poder de enfrentamento, aumentar a sua capacidade de enfrentar desafios, ter uma atitude mental mais positiva e promover ações mais criativas e menos reativas, dessa forma permitir um diferencial competitivo em busca da excelência tanto no esporte quanto na vida.

De acordo com um estudo realizado no Campeonato Estadual de Jiu-Jitsu, da Federação de Jiu-Jitsu do Rio de Janeiro, um dos questionamentos feito aos atletas foi: “Na sua opinião, o que é preciso para ser um campeão?”. As respostas foram agrupadas em sete categorias conforme descrito a seguir: aspectos psicológicos (concentração, motivação, entre outros) 25,8%; aspectos técnicos e táticos 25,3%; aspectos da preparação física (força, potência, entre outros) 23%; aspectos sócio-éticos (respeito aos atletas, humildade, entre outros) 13,2%; fatores externos (sorte, apoio financeiro) 6,1%; aspectos nutricionais 4,2%; e aspectos espirituais (fé, Deus) 2,4%. Podemos observar o grau de importância dado pelos atletas ao aspecto psicológico. Sendo assim, trabalhar o emocional, desenvolver essa competência e integrar a prática da mesma em seu método habitual de treino, favorece significativamente o desempenho desportivo. Na maioria dos casos os atletas não recebem um treinamento sistematizado sobre como desenvolver as competências psicológicas relacionadas ao trabalho que executam.

A boa notícia é que essas competências psicológicas podem ser potencializadas e maximizadas com o condicionamento mental e emocional.

O processo que auxilia as pessoas na busca de seus objetivos e contribui para o desenvolvimento da performance, independente da área aplicada, é o Coaching. Com a prática dessa metodologia, os atletas tem acesso a um conhecimento complementar que permite alcançar resultados diferenciados através do desenvolvimento de competências essenciais que podem ser aplicadas em diversas situações.

 “Coaching é uma relação de parceria que revela e liberta o potencial das pessoas de forma a maximizar seu desempenho”.

Bernardinho – vôlei

O Programa Coaching de Excelência é um processo de mudança focado nas ações estratégicas e inteligentes de líderes e atletas que geram resultados, aprendizagens e melhorias formando o Ciclo da Excelência. O Coaching de Excelência tem como objetivo tornar as pessoas comprometidas com o “fazer acontecer” através da metodologia denominada “7 Elementos da Excelência”. No processo são utilizadas técnicas e ferramentas que provocam o atleta a uma reflexão, despertando-o para a capacidade de pensar por si só e consequentemente adquirir o autoconhecimento, domínio pessoal e interpessoal. O atleta sai do estado automático condicionado e torna-se capaz de eliminar, ou ao menos, diminuir seus obstáculos internos através de ações mais estratégicas.

Timothy Gallwey, ex-tenista e uma das principais referências do Coaching no seu processo evolutivo, destaca que o jogo é composto por duas partes: uma exterior e outra interior. O primeiro refere-se ao seu adversário. Já o jogo interior é o que mais interfere no rendimento, ele acontece dentro da mente do atleta como as distrações, os diálogos internos e os julgamentos como, por exemplo: o medo do fracasso, a falta de confiança, o excesso de autocrítica, a irritação e nervosismo ocasionando a desconcentração, desmotivação e descontrole emocional mesmo nos atletas de alta performance.

Por esse motivo o Coaching Esportivo possui alto grau de eficácia e visa o desenvolvimento pessoal e interpessoal, a melhoria das habilidades mentais, emocionais e gestão de futuro, o aumento do desempenho individual do atleta e o aumento da capacidade de resolução de problemas. Podemos considerar a valiosa dica que Michael Jordan nos dá: “Existe um jeito certo de fazer as coisas, domine os fundamentos e seu desempenho será sempre crescente”. Veja abaixo alguns dos principais fundamentos e indicadores de sucesso que são trabalhados nas sessões do Programa Coaching de Excelência para desenvolver um atleta vencedor:

  • Objetivos desafiadores e reais;
  • Concentração;
  • Motivação;
  • Autoconfiança;
  • Controle emocional;
  • Disciplina;
  • Resistência às pressões;
  • Saber lidar com imprevistos;
  • Alto grau de Competitividade x Agressividade;
  • Desenvolvimento Interpessoal (relacionamento, comunicação, negociação, gestão de conflitos, tomada de decisão e liderança).

Através da combinação das competências técnica, tática, física e psicológica, o atleta aumenta consideravelmente suas chances de alcançar o sucesso. O Coaching Esportivo se destaca por ser um instrumento que possibilita ao atleta estabelecer uma vantagem competitiva em relação ao seu adversário através do desenvolvimento da sua capacidade emocional para a busca da excelência no esporte e na vida.

Mais informações entre em contato conosco. Será um prazer conversar com você!

 

 

Fontes:

  • Academia Emocional;
  • Alves, J. M. F. (2007), Competências psicológicas nos Atletas de Jiu-Jitsu Participantes do 3º Campeonato Europeu, Porto, Dissertação de Mestrado em Ciências do Desporto com especialização de Treino de Alto Rendimento apresentada à Faculdade de Desporto da Universidade do Porto.

Networking: Dar e Receber

Posted by | Artigos, Coaching Executivo | No Comments

 

Imagem: divulgação

Imagem: divulgação

Networking significa estabelecer uma rede de relacionamentos, rede de contatos que se constrói desde muito cedo. Conhecemos pessoas e nos relacionamos, trocamos ideias, conselhos, informações, conhecimentos, gentilezas, referências, contatos criando assim, oportunidades. Podemos considerar o Networking como um maravilhoso instrumento de integração entre pessoas de várias áreas e que, através desse contato, compartilham seus recursos e suas habilidades a fim de estreitar relações e formalizar parcerias.

Algumas pessoas sofrem certa dificuldade na pratica do Networking uma vez que acreditam ser uma forma forçada e artificial de construir uma afinidade, como que para obter vantagem própria apenas. A timidez também é outro aspecto que muitas pessoas afirmam ser um problema para não criar uma rede de relacionamentos. Se você supõe ser uma dessas pessoas, observe o exemplo de Adam Rifkin, ele foi considerado o melhor networker do Vale do Silício em 2011 pela revista “Fortune” e utiliza a internet como forma de aumentar a sua rede de relacionamentos. Observe abaixo algumas das valiosas dicas dessa referência em Networking: 

  • Utilize a tecnologia e a Web para promover mais ligações e estreitar relacionamentos;
  • Use o networking todos os dias como uma oportunidade de aumentar a qualidade das suas conexões;
  • Tenha tempo, paciência e consistência;
  • Mantenha contato com pelo menos uma pessoa e até três pessoas por dia, mais pessoas significa que você não estará se conectando de forma eficaz;
  • Melhore a qualidade das suas relações;
  • Não leve muito tempo em cada interação;
  • Aprofunde as suas conexões através de interações genuínas, verdadeiras, que compartilham conhecimentos, histórias e emoções;
  • Cuide da sua rede como um jardim, um pouco a cada dia.

Visto isto, sabendo que o networking é dar e receber – uma troca verdadeira com benefícios para ambos – continuamente e não somente quando necessita, fica fácil perceber que o networking pode aumentar sua visibilidade, contribuir para a troca de referências comerciais, melhorar a sua reputação e sua influência, compartilhar ideias, informações e contatos. Ou seja, dessa forma, obter resultados concretos no âmbito profissional. Respondo abaixo algumas questões pertinentes ao assunto.

Imagem: divulgação

Imagem: divulgação

Network é bom para carreira?

Rifkin afirma que você se torna mais feliz e saudável aprofundando seus relacionamentos, além de ser muito bom para sua carreira. Como ele utiliza a internet para se relacionar, afirma que a rede é mal projetada, devido às falhas estruturais que possui, mas paradoxalmente pode ser a sua maior força. Ele salienta que assim como na internet, no nível humano os relacionamentos também devem ser projetados para lidar com a confusão, perda e fracasso e é onde nos diferenciamos como seres humanos, visto que possuímos a capacidade de aprender e a crescer com erros e se compartilhamos nossos aprendizados, aí então, essa rede fica ainda mais fortalecida. De forma resumida ele nos ensina que é dando que se recebe e seu sucesso vem da sua vontade de dar sem esperar nada em troca.

Como manter um bom relacionamento? 

  • Seja claro ao se expressar;
  • Esteja realmente interessado em ouvir e trocar experiência e conhecimento com a outra pessoa;
  • Adote uma postura de confiança e estabeleça a confiança na relação;
  • Busque ser uma pessoa interessante, ninguém quer ficar ao lado de pessoas chatas;
  • Identifique um assunto em comum com a outra pessoa;
  • Tenha conhecimento das suas habilidades e competências;
  • Procure aprender sobre diversos assuntos e não se restrinja apenas a área profissional que atua;
  • Não procure seus contatos somente quando precisar de um favor;
  • Não fale mal dos outros;
  • Compartilhe suas ideias e solicite opinião sobre elas.

É importante ter presença no mundo digital corporativo contemporâneo? 

Estar presente no mundo digital é um grande diferencial competitivo nos dias de hoje. Há ferramentas que permitem a busca de profissionais, o reconhecimento das competências desses profissionais pelos seus pares, e o relacionamento com terceiros através do networking.

Em entrevista para a Revista Furtune, o executivo Ali Chambers fala que o contato direto com as pessoas ainda é a melhor maneira de encontrar um novo emprego, porém de acordo com a Jobvite, plataforma líder de recrutamento para a web social, 83% dos empregadores utiliza as mídias sociais como LinkedIn, Facebook e Twitter (nesta mesma ordem de importância) para encontrar novas contratações.

Networking também precisa de um objetivo ou todo contato é válido? 

Vamos pensar da seguinte forma, na sua rede social, você é do tipo de pessoa que aceita todas as solicitações e sai procurando todas as pessoas que não conhece? Como a pergunta anterior, a resposta a essas questões depende do objetivo que cada pessoa tem. O ideal é dar seu cartão de visitas e estreitar uma relação quando existir uma boa razão para isso, como por exemplo, ambos concordarem em aprofundar o relacionamento, em trocar mais informações e perceberem uma afinidade em determinado assunto.

Para quem quer criar ou desenvolver o seu networking, segue a seguir algumas dicas: 

  • Estabeleça metas e defina o que você quer encontrar;
  • Faça uma relação das pessoas que você conhece e mantenha atualizada;
  • Crie e promova seu perfil profissional em redes sociais;
  • Faça seu contato de forma personalizada, demonstre atenção, cuidado e carinho;
  • Pratique seu networking diariamente, de forma natural e verdadeira;
  • Marque presença em eventos referente ao seu ramo de atividade;
  • Construa bons relacionamentos;
  • Marque um encontro com as pessoas que você não vê há bastante tempo;
  • Tenha sempre consigo seus cartões de visita;
  • Seja ético;
  • Esteja sempre aberto a novos contatos.

As pessoas me procuram para que, através do Coaching, possa auxiliá-los no aprimoramento das suas competências e melhora da performance e de seus resultados. Consequentemente, encontrar seu lugar de destaque em um mercado cada vez mais competitivo. O networking acaba surgindo de forma natural, como uma maneira de fortalecer os relacionamentos e uma oportunidade de colocar em prática o que é identificado durante o processo de Coaching. A rede de contatos entra como elemento de apoio, na estratégia para se alcançar o que deseja, seja o relacionamento com uma empresa parceira, com fornecedores, com clientes, lembrando sempre da relação de “ganha-ganha”, o “dar e receber”, assim, o sucesso vem da vontade de dar sem esperar nada em troca.

Faça uma análise de como está seu networking. Perceba se você tem se doado, se tem servido as outras pessoas do seu círculo de relacionamento. Podemos comparar como a lei da semeadura, “você colhe aquilo que planta”, contudo, sem esquecer de cultivar a plantação para que haja frutos permanentes. Assim, com a ajuda do tempo, seu networking vai refletir de forma dinâmica os seus esforços, obtendo resultados positivos não só para você como para a sua rede de contatos também.

Fontes:

http://fortune.com

http://g1.com.br

http://exame.abril.com.br

http://www.administradores.com.br

 

Que nota você daria para a sua saúde?

Posted by | Artigos, Coaching de Emagrecimento | No Comments

Que nota você daria para a sua saúde, levando em consideração:Imagem: divulgação

1-    Sono adequado;

2-    Alimentação balanceada;

3-    Atividade Física sistemática;

4-    Momentos de paz: relaxamento e meditação.

Para ter uma vida saudável e equilibrada, não existe muito segredo. O organismo pede tão pouco! Precisamos conciliar essas quatro atividades e adaptá-las de maneira equilibrada na nossa vida.

O que você tem feito para aumentar o seu nível de saúde e deixar ele lá no alto? O que você tem feito para visualizar as possibilidades existentes na sua vida capaz de mudar esse jogo?

Tem momentos na vida que se torna necessário olhar para dentro de si e entender melhor o que está acontecendo, o que te incomoda e o que faz você ficar estagnado, sem avançar como gostaria. Essa tomada de consciência se faz necessário para que você visualize suas capacidades e possibilidades e, se aproprie da parte que te cabe na sua jornada.

Pergunte-se: O que você pode fazer hoje que te colocará um passo à frente do seu objetivo?

Feche seus olhos e resgate três grandes realizações suas. Pense em exemplos que quando se recorda você pensa: Uau! Eu consegui! E então perceba que você tem o “chip” da pessoa REALIZADORA dentro de você! Você já é uma pessoa VITORIOSA, sabe como chegar lá, então utilize seu “chip” para conseguir seu novo objetivo. Aliás, conte-me, qual é mesmo o seu objetivo?

Um elogio não faz mal a ninguém…

Posted by | Artigos, Coaching de Emagrecimento | No Comments
Imagem: divulgação

Imagem: divulgação

Você é do tipo de pessoa que se concentra no que faz certo ou no que faz errado? Tem costume de olhar apenas para os deslizes e erros que cometeu e assim acaba se sentindo um “lixo”?

Saiba que as pessoas que tem sucesso no Emagrecimento concentram-se exatamente naquilo que elas estão fazendo corretamente. Agir dessa forma aumenta a autoconfiança e mostra que você é capaz de assumir o controle e exercer a disciplina. Já do contrário, aquelas que se concentram nos seus erros, acabam se vendo como fracas e inferiores.

Perceba se você tem ignorado seus pequenos sucessos do dia a dia. Se sua resposta for sim, isto pode te impedir de desenvolver o senso de autoeficácia (crença de que você é capaz através do seu próprio esforço, de atingir suas metas), desanimando facilmente e muito provável, desistindo do seu objetivo.

Outra dica é tomar cuidado com a palavrinha: “mas”. Muitas vezes você pode até elogiar-se: Eu mereço os parabéns, pois me exercitei todos os dias nessa semana conforme planejei, mas (…). Quando você coloca o “mas” está diminuindo e enfraquecendo todas as vitórias que acabou de falar e fazer.  Você pode até ter a expectativa de querer fazer tudo corretamente conforme planejou, porém a perfeição não existe e para chegar bem perto dela leva-se um tempo de adaptação e aprendizado. É um processo, então faça a sua parte bem feita, e comece a dar valor às pequenas conquistas diárias. Dia após dia elas irão se somando e seus resultados serão sempre crescentes.

Observe suas pequenas ações de sucesso, aquelas que te aproximam do seu objetivo e elogie-se. Talvez no início você ache estranho, mas com o tempo você vai achar super natural e vai se sentir muito bem.

 

Imagem: divulgação

Imagem: divulgação

Elogie-se agora! Por quê? Porque você está lendo esse post e agora você sabe que é capaz de chegar aonde você quer, com seu próprio esforço.

Bom final de semana e até o próximo!

Fonte: Livro Pense Magro – Judith S. Beck

Motive-se diariamente

Posted by | Artigos, Coaching de Emagrecimento | No Comments

Estamos em uma época do ano que as temperaturas estão mais baixas, com isso bate aquela preguiça de sair de casa, dá vontade de comer coisas quentes e gostosas, que não vou nem citar aqui porque, na maioria das vezes, essas comidas não são tão saudáveis assim… 😛

Imagem: divulgação

Imagem: divulgação

Para ter sucesso no emagrecimento, você precisa se motivar continuamente. Se você está com dificuldade, deve estar se perguntando: Mas como que eu faço isso? Uma das técnicas é lembrar, regularmente, das razões pelas quais emagrecer é tão importante para você. Ok, você já pensou sobre esses motivos inúmeras vezes, porém você acaba não se concentrando nessas razões às 4 da tarde quando está na sua frente um bolo maravilhoso de chocolate, ou então às 8 da noite quando chega em casa com aquela fome, senta na frente da TV e se descontrola completamente. Sabe por que este descontrole? Por causa dos seus pensamentos que te impendem de chegar ao seu objetivo. Algum desses pensamentos, diante da comida, é familiar para você?

  •  Não tem problema eu comer isso; Não tem tanta importância; Eu compensarei mais tarde; Eu me comportei tão bem o dia todo; Todo mundo está comendo; Eu não consigo resistir; Eu vou comer só um pouquinho…

Quantas vezes isso já aconteceu isso com você? Comer exageradamente ou sair do seu planejamento por causa dos benditos pensamentos sabotadores? É justamente por este motivo que você precisa de uma lista escrita cheia de motivos para emagrecer, e é por isso que precisa repetir continuamente essas razões. Assim estará sempre claro na sua mente por que vale a pena não comer o bolo de chocolate ou se descontrolar na sua alimentação.

 

Então, pronto para começar a sua?

Pegue agora um papel e uma caneta e comece a listar as suas vantagens de emagrecer e ficar mais saudável. Lembre-se de não deixar essa lista esquecida, acrescente semanalmente ou sempre que lembrar mais um motivo de ficar bem consigo mesma.

Até semana que vem! 😉

 

Fonte: Livro Pense Magro – Judith S. Beck